Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Reitoria > 2021 > fevereiro > Conif faz publicação sobre volta às aulas pelo mundo
conteúdo

Geral

Conif faz publicação sobre volta às aulas pelo mundo

Levantamento apresenta panorama da volta às aulas em diferentes países do mundo. Um dos objetivos é subsidiar decisões em relação à migração do modelo remoto para o presencial.
publicado: 19/02/2021 12h17, última modificação: 19/02/2021 12h17

O Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) divulgou, nesta quinta-feira (18/2), um levantamento realizado por sua Assessoria Internacional com um panorama da volta às aulas em diferentes países do mundo. A publicação - “Retomada das aulas pelo mundo diante da Covid-19” - é gratuita e está disponível para consulta no link.

O trabalho mapeia como diversos países, especialmente aqueles que a Rede Federal mantém alguma parceria, estão lidando com a retomada das aulas presenciais. Para a realização do levantamento, foram consideradas informações fornecidas por portais governamentais, veículos de notícias e sites de universidades, liceus e colleges. A pesquisa para a construção do documento foi realizada entre 1º e 11 de fevereiro.

Jadir José Pela, presidente do Conif, sinaliza que o documento tem a missão de informar e subsidiar a tomada de decisão dos conselheiros em relação à migração do modelo remoto de aulas para as aulas presenciais, além de estabelecer uma análise da situação global. “Nós defendemos a retomada das aulas presenciais no Brasil só quando houver segurança sanitária. A Rede, por exemplo, continua funcionando com suas atividades de forma remota ainda, dada a situação em que se encontra o país. Essa publicação é para nos situar de como o mundo está reagindo em relação ao retorno presencial, em condições de iniciação da vacinação contra o novo Coronavírus”, pondera.

“Por enquanto não podemos falar em retomar as aulas presenciais sem falar na vacinação dos nossos servidores, pelo menos. Hoje, a Rede Federal não tem condições de arcar com os custos de uma volta às aulas.  As adequações das normas de segurança vão causar impactos nos contratos de limpeza e segurança, por exemplo. Além disso, vale ressaltar que nossas instituições não pararam. Há trabalhos de pesquisa e extensão sendo desenvolvidos e as aulas estão ocorrendo a distância”, completa Jadir, que defende ainda que professores e técnicos-administrativos sejam incluídos no cronograma de vacinação prioritária.

MEC – Na sexta-feira (12/2), representantes da Rede Federal estiveram no Ministério da Educação (MEC) para uma audiência com o ministro Milton Ribeiro. A flexibilização das portarias de retomada das atividades presenciais e dos 200 dias letivos, o orçamento da Rede Federal em 2021, a inclusão dos profissionais da educação na fase prioritária de vacinação contra a Covid-19 e a apresentação da nova diretoria do Conselho foram os pontos centrais do encontro.

Na ocasião, o ministro se comprometeu em apoiar o pleito da Rede Federal pela vacinação prioritária para os profissionais da educação, para que as atividades presenciais possam ocorrer de forma mais célere e com maior segurança.

Faça download, em PDF, do estudo “Retomada das aulas pelo mundo diante da Covid-19”

Fonte: Assessoria de Comunicação do Conif