Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Reitoria > Campus Juiz de Fora é contemplado com projeto de eficiência energética da Cemig
conteúdo

Destaque

Campus Juiz de Fora é contemplado com projeto de eficiência energética da Cemig

Por meio de uma ação inovadora no âmbito do IF Sudeste MG, o Campus Juiz de Fora executará projeto de eficientização das suas instalações elétricas.
publicado: 13/03/2020 09h13, última modificação: 13/03/2020 09h18
#Pratodosverem: funcionário realiza medição.

#Pratodosverem: funcionário realiza medição.

Por meio de uma ação inovadora no âmbito do IF Sudeste MG, o Campus Juiz de Fora executará projeto de eficientização das suas instalações elétricas. O projeto, no valor de R$ 496.812,76, prevê a substituição de cerca de 2.700 lâmpadas de baixa eficiência por iluminação LED, 3 aparelhos de ar condicionado mais econômicos e ações de conscientização da comunidade acadêmica. A renovação da iluminação será realizada em diversos ambientes do Campus, como salas de aulas, laboratórios, espaços administrativos, quadras, áreas de circulação, anel viário, entre outros.

 

Processo

Aprovado no edital da Chamada Pública nº 01/2019 da CEMIG Distribuição S.A, o projeto será integralmente custeado pela empresa que, conforme Resoluções Normativas da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), deve investir em ações que assegurem melhoria na eficiência energética no uso final de energia elétrica.

A Comissão Interna de Conservação de Energia (CICE) coordenou a participação do IF Sudeste MG no edital. Tal comissão, composta por professores e técnicos-administrativos em educação dos campi e da Reitoria, foi criada em 2018, a partir de solicitação do prof. Filipe La-Gatta, atual coordenador da CICE.

O coordenador explica que viu no edital da chamada pública de eficiência energética da Cemig grande oportunidade para a promoção de ações voltadas para eficientização das instalações elétricas do Instituto. Foi então que, para que o IF Sudeste MG pudesse participar do certame, o professor sugeriu a criação da CICE, já que a existência deste tipo de comissão é a primeira exigência para a apresentação de propostas.

Após a constituição e a realização dos estudos necessários, a CICE apontou a possibilidade de estabelecimento de parceria com Empresa de Serviços de Energia - Energy Services Company (ESCO) para a elaboração dos projetos de eficientização e participação nos editais de chamamento público. Assim, por meio de uma ação integrada entre a Direção Geral do Campus Juiz de Fora, a Procuradoria Federal junto ao IF Sudeste MG, a Comissão Interna de Conservação de Energia (CICE) e a Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional, foi estabelecido um convênio com a Fundação de Apoio à Universidade Federal de São João del-Rei (FAUF) para a seleção de ESCO interessada na elaboração de projetos de eficiência energética para o IF Sudeste MG.  A atuação da Procuradoria Federal foi de extrema relevância neste processo, pois garantiu a segurança jurídica necessária para este projeto inovador, esclarece o prof. Aluísio de Oliveira, Pró-Reitor de Desenvolvimento Institucional. 

A chamada pública de Eficiência Energética da Cemig

No último ano, por meio da Chamada Pública de Projetos nº 001/2019, a Cemig disponibilizou um total de R$50.000.000,00 (cinquenta milhões de reais) contemplando as tipologias de projetos relacionados aos segmentos: industrial, comércio e serviços, poder público, residencial (condomínios), serviços públicos, rural e iluminação pública.

O Campus Juiz de Fora, com apoio da FAUF (interveniente) participou e foi contemplado na tipologia serviços públicos, para a qual foi destinado um total de R$ 7.000.000,00 (sete milhões de reais).   

 Benefícios

O projeto aprovado, além das melhorias para as instalações elétricas do Campus, também envolve ações de treinamento, capacitação e divulgação da importância da implantação de um sistema de gestão energética na instituição.

O prof. Filipe ressalta que, conforme o projeto submetido para participação no edital, com a troca das lâmpadas, dos aparelhos de ar condicionado e conscientização dos usuários, o Campus Juiz de Fora espera economizar em torno de um terço da energia elétrica consumida ao longo do ano. O Diretor-Geral do Campus, prof. Sebastião Sérgio de Oliveira, destaca que a economia com energia elétrica permitirá a alocação de recursos em outras demandas essenciais, como por exemplo, ações voltadas para inclusão e acessibilidade.

Preocupação ambiental

Conforme preceitos do edital de chamamento público, todos os equipamentos e materiais substituídos na execução do projeto serão obrigatoriamente descartados de acordo com as regras estabelecidas pela Política Nacional de Resíduos Sólidos e demais normas aplicáveis à matéria. Tal ação é de vital importância, pois assegura que os equipamentos já defasados tecnologicamente não sejam reutilizados em outras instalações. Além disso, também evita a poluição do Meio Ambiente.

Etapas do Projeto

Todas as etapas necessárias para dar início à execução do projeto já foram devidamente cumpridas, com destaque para a reunião de alinhamento entre as partes, ou seja, IF Sudeste MG, FAUF e empresa executora. Em fevereiro, no auditório da Reitoria, o prof. Charles Okama, Reitor do IF Sudeste MG, recebeu o Diretor do Campus Juiz de Fora, prof. Sebastião Sérgio de Oliveira, membros da CICE, representantes da FAUF e diretores e corpo técnico da ESCO selecionada. Na reunião, a empresa detalhou a execução do projeto de eficiência energética no Campus Juiz de Fora e a FAUF, por sua vez, explicou como se dará a gestão administrativa do contrato entre os partícipes.

Execução

Cumpridas as etapas obrigatórias, o projeto começou a ser executado no dia 2 de março, com a instalação de medidores que confirmarão o consumo elétrico dos equipamentos que serão eficientizados. Esta primeira medição pode ser entendida como uma “fotografia” do consumo energético antes da execução do projeto de eficientização em si. Neste ponto, será medida em bancadas, com equipamentos de precisão, a potência consumida pelas lâmpadas e condicionadores de ar, bem como levantado o tempo de uso de cada equipamento, no ciclo de uma semana. Devido à grande quantidade de ambientes e itens a serem avaliados, tais medições são feitas em alguns ambientes selecionados, de forma a levantar o diagnóstico com bases estatísticas de uso. Encerrado esse ciclo de medição na quinta-feira, 12 de março, nos dias seguintes haverá a análise e a aprovação das medições pela Cemig, que dará ou não a autorização para o início da aquisição dos materiais que serão substituídos. Todo este procedimento de medição atende a protocolos internacionais de medição e exigem usos de equipamentos devidamente aferidos e calibrados por autoridade competente no Brasil, INMETRO, devendo constar na prestação de contas inclusive o certificado de calibração válido dos equipamentos.

O processo tem sido feito pela empresa contratada para a execução do projeto, com acompanhamento de servidores do Campus Juiz de Fora, sendo os gastos custeados pela Cemig, por meio do Programa de Eficiência Energética.