Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Reitoria > Dengue em tempos de Coronavírus
conteúdo

Ensino

Dengue em tempos de Coronavírus

Não deixe o mosquito trabalhar em tempos de isolamento social!
publicado: 08/05/2020 16h12, última modificação: 08/05/2020 17h01

Máscara sim, mas repelente no corpo também! Reportagens recentes vêm mostrando que com as atenções voltadas para o enfrentamento do COVID-19, outro vilão nacional, o mosquito Aedes aegypti, vem encontrando espaços nos lares brasileiros. O transmissor da dengue, Zika e Chikungunya não respeita o isolamento social e está trabalhando, a pleno vapor, para se multiplicar nas poças de água parada nas áreas descobertas das casas de todo país.

Seguindo a orientação do Ministério da Saúde para reduzir o risco da transmissão do coronavírus, os agentes de endemias não estão realizando as visitas de praxe nesta época do ano. Mas, é importante lembrar que o isolamento social não reduz a responsabilidade da população nos cuidados para evitar a reprodução do mosquito.

Somente em 2020, mais de 525 mil casos de dengue já foram registrados no Brasil com 181 mortes confirmadas e outras 201 em investigação até o dia 17 de abril. Em Minas Gerais, são 56 mil casos, com 05 óbitos e 26 sob investigação.  Mais um óbito foi divulgado essa semana na cidade de Cataguases. Dos municípios com a presença do IF Sudeste MG, na Zona da Mata, alguns apresentam incidência muito alta para a doença – quando há 500 casos prováveis a cada cem mil habitantes. É o caso de Ubá (1.032 casos) e Rio Pomba (127). Embora menos letal, a dengue hoje já atinge mais de sete vezes o número de acometidos pela Covid-19 no país.

Diante dessa situação, o IF Sudeste MG traz um comparativo entre as duas doenças e os cuidados necessários para que a Dengue continue a ser combatida em tempos de pandemia. Confira as imagens!

registrado em: ,