Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Reitoria > Do IF Sudeste MG para o mundo: Egresso é selecionado por incubadora americana
conteúdo

Geral

Do IF Sudeste MG para o mundo: Egresso é selecionado por incubadora americana

O projeto do jovem, sobre evasão escolar, foi selecionado por uma incubadora semestral para desenvolvimento de projetos sociais.
publicado: 13/08/2019 09h51, última modificação: 13/08/2019 09h54
A foto mostra o estudante em pé ao lado do Diretor de Relações Internacionais e Interinstitucionais do IF Sudeste MG, com mapa mundi ao fundo.

A foto mostra o estudante em pé ao lado do Diretor de Relações Internacionais e Interinstitucionais do IF Sudeste MG, com mapa mundi ao fundo.

“O IF Sudeste MG foi muito importante na minha trajetória, pois me abriu portas, me deu oportunidades”.

Yuri Costa, recém-formado em Eletrotécnica pelo Campus Juiz de Fora do IF Sudeste MG, está com as malas prontas para os Estados Unidos.  O projeto do jovem foi selecionado pela Watson Institute’s Fall 2019 Semester Incubator, uma incubadora semestral para desenvolvimento de projetos sociais.

Yuri, junto com outros três estudantes, desenvolve, desde 2017, o projeto CID (criatividade, inovação, dinâmica e Cidadania), que tem o objetivo de mapear e buscar formas de enfrentar os maiores problemas dos estudantes durante o Ensino Médio. Dentre os problemas identificados, a evasão escolar teve destaque.

Processo de Seleção

O jovem recebeu o aval dos outros membros, que já estão na faculdade, para inscrever o projeto na seleção da Watson. Yuri explica que, na inscrição, é preciso identificar um problema e o motivo pelo qual o candidato quer resolvê-lo: “Eu coloquei que gostaria de discutir sobre a evasão escolar porque este problema atinge muitos estudantes e influencia diretamente no desenvolvimento social e econômico do país. Concluir o Ensino Médio é algo decisivo na vida dos jovens, pois o diploma não só dá a oportunidade de entrar no mercado de trabalho, como também de continuar os estudos”, analisa Yuri.

O estudante sentiu na pele as dificuldades para concluir o Ensino Médio: “Na minha família eu sou um dos primeiros a ter o diploma e sei o quanto foi difícil para mim. Não se formar no Ensino Médio impacta social e economicamente a família e acaba criando um círculo vicioso”, reflete ele.

Depois que o tema foi selecionado, Yuri passou por uma entrevista com a organização americana e foi aceito. O jovem concorreu com 500 projetos e foi um dos 30 selecionados. Yuri receberá uma bolsa da Watson e, através de uma vaquinha na internet, arrecadou o restante do dinheiro necessário para permanecer cerca de 4 meses nos EUA.

Para ele, o êxito de seu projeto se deve à abrangência do problema: “Meu projeto foi selecionado porque o problema afeta a América Latina como um todo. A evasão escolar quase me afetou e eu não gostaria que afetasse mais pessoas. Estou aberto a mudar o projeto para que ele tenha o maior impacto social possível”, afirma o estudante.

Expectativas

Segundo Yuri, no Watson Institute ele terá a oportunidade de desenvolver seu projeto e ter contato com pessoas que já têm projetos sociais na área de educação e de outras áreas: “Eu tenho as melhores expectativas. Espero aprender muito, extrair todo conhecimento possível para desenvolver o projeto e fazer com que ele atinja seu objetivo: diminuir o índice de evasão. Espero que o CID possa ser replicado. Meu objetivo maior é trazer o conhecimento para cá e impactar muitas pessoas”, planeja Yuri.

Visita ao Education USA

Nesta segunda-feira, 12 de agosto, Yuri veio ao Escritório de orientação educacional para estudo superior nos EUA, o EducationUSA, que funciona na Reitoria do IF Sudeste MG. O estudante relatou que, desde o começo do processo de seleção da Watson, recebeu o apoio do Diretor de Relações Internacionais e Interinstitucionais do Instituto, Daniel Augusto de Oliveira.

 “O Yuri representa muitos alunos da instituição, que superam desafios e que têm potencial de crescimento e impacto social muito grande.  Nossa expectativa é que ele leve o nome do IF Sudeste MG para a Watson, divulgue nossas ações e possivelmente nos apoie no fechamento de alguma parceria para desenvolver um projeto com a incubadora, tendo em vista o desenvolvimento das relações interinstitucionais do instituto. O Yuri tem um grande potencial e certamente vai representar o IF Sudeste MG muito bem”, comemorou o Diretor de Relações Internacionais e Interinstitucionais do Instituto.

O estudante procurou o EducationUSA em busca de orientação. Yuri está embarcando dias antes do início dos trabalhos na Watson para participar de processos seletivos para ingresso em universidades americanas.

Interessados em receber orientações do Escritório de orientação educacional para estudo nos EUA podem marcar visitas. O agendamento deve ser feito através do email: education.usa@ifsudestemg.edu.br. 

O Escritório oferece informações e orientações sobre os seguintes assuntos: 

- A experiência de estudar nos EUA: sistema educacional dos Estados Unidos, a vida nos campi de Instituições de ensino superior americanas, informações aos pais dos alunos que se interessam em candidatar-se à uma vaga em universidades dos Estados Unidos;

- Passo-a-Passo para estudar nos EUA;

- Organização de eventos (palestras, Feiras, Seminários) em Juiz de Fora com universidades americanas e

- Facilitação de parcerias interinstitucionais para o desenvolvimento de ensino, pesquisa e inovação, e extensão.

O interessado em receber informações do EducationUSA, deve acessar o site e agendar uma visita ao Escritório. O EducationUSA funciona no 10º andar da Reitoria do IF Sudeste MG.

IF Sudeste MG e sonhos

O jovem de 19 anos, que dos 6 aos 13 anos viveu no abrigo Aldeias Infantis S.O.S., ressalta a importância do IF Sudeste MG em sua trajetória:

“O IF foi muito importante na minha trajetória, pois me abriu portas, me deu oportunidades. Seja através do incentivo de professores, seja através de bolsas. Eu pude continuar a estudar porque eu tive bolsas que possibilitaram que eu me dedicasse exclusivamente aos estudos. A necessidade de trabalhar é um dos motivos que fez os meus irmãos, e tantos outros alunos, pararem de estudar”.

Na bagagem, além de seu projeto, Yuri leva otimismo e determinação:

“Não existe sonho grande, nem pequeno. Existem sonhos. Existe o seu sonho. O sonho de estudar fora pode ter a mesma importância que o sonho de concluir o Ensino Médio e entrar no mercado de trabalho. Não deixem de sonhar. E se der errado, persista. É através das quedas que a gente fia mais forte e consegue alcançar nossos objetivos”, aconselha o jovem.

registrado em: