Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Reitoria > 2021 > dezembro > IF Sudeste MG aparece em ranking internacional de sustentabilidade
conteúdo

Geral

IF Sudeste MG aparece em ranking internacional de sustentabilidade

UI GreenMetric analisa instituições que se esforçam para reduzir a geração de gás carbono e ajudar no combate global às mudanças climáticas.

O IF Sudeste MG foi classificado na 38ª posição entre as instituições de ensino superior (IES) brasileiras avaliadas segundo o Ranking UI GreenMetric 2021.  O resultado foi divulgado na terça-feira passada (14) e, ao todo, 38 instituições do país participaram da avaliação, cujo foco é a sustentabilidade das escolas de ensino superior. Além do IF Sudeste MG, entre os Institutos Federais, aparece na lista apenas o Instituto Federal do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS). Outras instituições mineiras figuram no ranking, como Universidade Federal de Lavras (Ufla) e Universidade Federal de Viçosa (UFV).

Ao todo, neste ano, foram avaliadas 956 instituições. No ranking mundial, o IF Sudeste MG ocupa a posição de número 902. 

Entenda o UI GreenMetric 

O UI GreenMetric é um ranking de sustentabilidade desenvolvido anualmente pela Universidade da Indonésia, desde 2010. A proposta é dar créditos para aquelas universidades que fazem esforços para reduzir a geração de gás carbono e ajudar no combate global às mudanças climáticas.

Conforme divulgado pelo UI GreenMetric, de 2010 para 2021, o número de instituições participantes aumentou de 95 universidades , em 35 países, para 912 universidades, em 84 países. Na avaliação, o ranking reúne informações básicas sobre o tamanho e localização das instituições, para identificar se elas estão situadas na área urbana, suburbana ou rural. Eles buscam avaliar o tamanho da área verde nos espaços, o consumo de eletricidade — devido à relação com a emissão de gás carbono —, o uso, o gerenciamento e o desperdício de água, a configuração e a infraestrutura, a energia e as mudanças climáticas. Além da educação e da pesquisa.

Para além dessas métricas, o ranking avalia como a universidade responde ou lida com as questões referentes às políticas de sustentabilidade, ações e comunicação. Os participantes podem obter uma série de benefícios, como internacionalização, reconhecimento, maior conscientização sobre questões de sustentabilidade, mudanças sociais e networking.

Veja abaixo os indicadores de cada métrica.

1. Configurações e infraestrutura 

  • Quantidade de área aberta em relação à área total;
  • Área total do campus coberta por vegetação florestal;
  • Área total do campus coberta por vegetação plantada;
  • Área total do campus destinada à absorção de água, para além da área florestal e de vegetação plantada;
  • Área total aberta dividida pela população total do campus;
  • Porcentagem do orçamento da universidade destinada para esforços sustentáveis;
  • Porcentagem de operação e manutenção de atividades de construção durante a pandemia do Covid-19;
  • Acessibilidade do campus para pessoas com deficiência ou para cuidados maternos;
  • Segurança;
  • Infraestrutura de saúde para estudantes, acadêmicos e funcionários administrativos;
  • Conservação de vegetação, animais, vida selvagem, recursos genéticos para comida e agricultura, tanto em médio quanto em longo prazo; 

2. Energia e mudança climática

  • Eficiência energética de aparelhos elétricos;
  • Implementação de construções inteligentes;
  • Número de fontes de energia renováveis no campus;
  • Eletricidade total utilizada dividida pela população total do campus ((kWh por pessoa);
  • Quantidade de energia renovável produzida dividida pelo total de energia utilizada por ano;
  • Elementos de construção sustentável implementadas, em comparação a todas as construções e políticas de renovação;
  • Programas de redução de emissão de gases;
  • Emissão total de gás carbono dividida pela população total do campus;
  • Número de programas de inovadores durante a pandemia da Covid-19;
  • Nível de impacto dos programas da universidade na mudança climática; 

3. Desperdício 

  • Programas de reciclagem para o desperdício na universidade;
  • Programas para reduzir o uso de papel e plástico no campus;
  • Tratamento de desperdício orgânico;
  • Tratamento de desperdício inorgânico;
  • Manuseio de desperdício tóxico;
  • Tratamento de esgoto. 

4. Água

  • Implementação de programas de conservação de água;
  • Implementação de programas reciclagem de água;
  • Eficiência da água utilizada;
  • Consumo de água tratada;
  • Porcentagem do uso adicional de água para lavar as mãos e para higienização sanitária durante a pandemia da Covid-19. 

5. Transporte

  • Número total de carros e motos dividido pela população total do campus;
  • Serviço de transporte;
  • Políticas no campus para emissão zero de veículos;
  • Número total de veículos com zero emissões dividido pela população total do campus;
  • Tamanho da área de estacionamento para a área total do campus;
  • Programas para limitar ou diminuir a área de estacionamento nos últimos 3 anos;
  • Número de iniciativas para diminuir a quantidade de veículos particulares no campus;
  • Caminhos para pedestres no campus.

6. Educação e pesquisa 

  • Quantidade de cursos de sustentabilidade em relação ao total de cursos;
  • Quantidade de fundos para pesquisas de sustentabilidade em relação ao total de fundos de pesquisas;
  • Quantidade de publicações sobre sustentabilidade;
  • Quantidade de eventos relacionados à sustentabilidade;
  • Quantidade de organizações estudantis relacionadas à sustentabilidade;
  • Site sobre o andamento da sustentabilidade na universidade;
  • Relatório de sustentabilidade;
  • Quantidade de atividades culturais no campus;
  • Número de programas para enfrentar a pandemia da Covid-19;
  • Número de serviços comunitários de sustentabilidade, organizados por alunos ou que envolvam estudantes;
  • Número de startups relacionadas à sustentabilidade.
Com informações de: Portal G1