Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Reitoria > 2021 > março > Conheça a IN que estabelece diretrizes para o ensino remoto em 2021
conteúdo

Destaque

Conheça a IN que estabelece diretrizes para o ensino remoto em 2021

publicado: 24/03/2021 14h27, última modificação: 24/03/2021 15h03
Documento complementa resolução de 2020, organizando o Ensino Remoto Emergencial (ERE) para novo ano letivo.

#pratodosverem: na ilustração, aparecem três pessoas em diferentes locais, interagindo com celulares ou monitor e livros. O fundo é verde claro, há pequenas nuvens sobre um dos celulares. As pessoas, que não têm rosto definido, estão passando o livro pela tela ou estão em cima dos próprios livros. Na parte inferior da imagem, está escrito em vermelho: "Instrução Normativa: ERE 2021".A Pró-Reitoria de Ensino do IF Sudeste MG lançou, em 16 de março, um documento que busca organizar a implementação do Ensino Remoto Emergencial em 2021, de forma complementar à resolução que norteia o ERE no IF Sudeste MG desde o ano anterior (Resolução Consu n° 32/ 2020). Trata-se da IN ProEn 1/ 2021, cujas principais determinações referem-se aos calendários dos campi. 

O documento prevê a organização do ano letivo em 200 dias, iniciando-se as aulas a partir de 10 de maio com atividades de ambientação para a comunidade acadêmica (em especial, os ingressantes). Contudo, não estabelece um cronograma geral, orientando que as unidades elaborem seus próprios calendários, programando-se a partir das diretrizes apontadas na IN.

No caso dos cursos semestrais, como os técnicos subsequentes/concomitantes e os de graduação, há algumas especificidades, tais como a indicação de 100 dias letivos por semestre. Além disso, durante a vigência do ERE, somente serão abertas as matrículas para disciplinas listadas como possíveis de serem ofertadas remotamente. 

Vale lembrar que a instrução normativa recém-lançada toma por base uma série de diretrizes nacionais, especialmente no que diz respeito ao uso de meios digitais em atividades pedagógicas enquanto perdurar a pandemia. Assim, dadas as atuais condições sanitárias, o Ensino, a Pesquisa e a Extensão continuam sendo trabalhados integralmente por meio de tecnologias de informação e comunicação (TICs).