Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Juiz de Fora > Método gerencial acompanha eficácia dos contatos de conservação e limpeza
conteúdo

Pesquisa

Método gerencial acompanha eficácia dos contatos de conservação e limpeza

publicado: 08/11/2019 14h59, última modificação: 13/11/2019 12h35
Trabalho foi elaborado pela servidora Isabel Cristina Ferreira em sua dissertação de mestrado no programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Um método gerencial para acompanhar e avaliar os contratos terceirizados de conservação e limpeza no IF Sudeste MG foi proposto pela servidora Isabel Cristina Ferreira em sua dissertação de mestrado produzida no programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal Fluminense (UFF). O objetivo é garantir a qualidade dos serviços prestados, bem como a segurança física e jurídica dos funcionários. 

Atuando como fiscal administrativo de contratos no Campus Juiz de Fora e lotada no setor de execução financeira, Isabel detectou a necessidade de olhares mais analíticos sobre esses procedimentos diante da quantidade de processos judiciais que a instituição tem sido alvo. De 2008 até janeiro deste ano, o IF Sudeste responde subsidiariamente a 153 ações trabalhistas, o que corresponde a mais de R$ 1 milhão em multas caso seja condenado. Ela garante que a maior parte poderia ser evitada se houvesse uma sistemática de avaliação destes serviços, sendo iniciada deste o processo licitatório para contratação dessas empresas. 

 O método consta de uma lista de verificação de documentos trabalhistas, uma avaliação da qualidade dos serviços de conservação e limpeza e gestão de riscos. Também será possível construir um histórico da execução do contrato que poderá servir de subsídio para prorrogações ou indicar a necessidade de uma nova licitação.  

Paralela a essa metodologia, Isabel aponta a necessidade de qualificação dos servidores responsáveis pela fiscalização destes contratos e uma dedicação integral a essa atividade, permitindo uma interação diária com os gestores, garantindo uma maior qualidade e menos riscos na contratação. “Não existe uma política de capacitação para os servidores designados para serem fiscais de contratos. A falta de conhecimento sobre a fiscalização administrativa, ou seja, a que acompanha as obrigações trabalhistas e fiscais dos fornecedores de serviços; e uma fiscalização assídua acabam trazendo muitos transtornos, tanto para a instituição, quanto para os trabalhadores da empresa contratada”.  

registrado em: ,