Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Santos Dumont > 2019 > 05 > Em Santos Dumont, VIII Seminário de Integração do Setor Ferroviário debate melhoria contínua
conteúdo

Destaque

Evento reuniu representantes de empresas, professores de outras instituições e outros interessados pelo segmento ferroviário

Em Santos Dumont, VIII Seminário de Integração do Setor Ferroviário debate melhoria contínua

por Daniel dos Santos Leite publicado: 14/05/2019 09h39, última modificação: 28/05/2019 08h48
Evento reuniu representantes de empresas, professores de outras instituições e outros interessados pelo segmento ferroviário

O VIII Seminário de Integração do Setor Ferroviário envolveu servidores e estudantes do Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais, professores de outras instituições de ensino e representantes de diversas empresas, cumprindo o papel integrador que o próprio nome do evento sugere. De terça a quinta-feira (7 a 9 de maio), no Campus Santos Dumont do IF Sudeste MG, foram oito palestras, duas visitas técnicas, um minicurso e uma mesa-redonda, sempre tendo em vista o tema deste ano: “A melhoria contínua na Ferrovia”, ou seja, a aplicação da tecnologia em manutenção e operação no setor ferroviário. Organizado pelos professores da área, o seminário contou também com a atuação da Evidência Jr, empresa da graduação em Engenharia Ferroviária e Metroviária da unidade do IF, que pela primeira vez participou do Sisfer.

A edição anterior, por sinal, foi realizada em 2017 durante o III Congresso Nacional das Engenharias da Mobilidade (Conemb), promovido pela Universidade Federal de Santa Catarina em Joinville. A UFSC é uma grande parceira do IF Sudeste MG na formação de profissionais para o setor ferroviário – as duas são as únicas instituições no país que ofertam a graduação em Engenharia Ferroviária e Metroviária. Os professores Yesid Assaff e Thiago Fiorentin, da universidade catarinense, estiveram no VIII Sisfer em Santos Dumont e reforçaram os laços entre as instituições.

“O Sisfer é um evento que estreita as relações entre academia e empresas”, avaliou o professor Yesid, que ministrou um minicurso sobre investigação de acidentes ferroviários durante o Sisfer, “e fiquei feliz pela quantidade de palestrantes que o seminário apresentou em diferentes áreas e setores. Fechamos com chave ouro com uma mesa-redonda em que os componentes apresentaram questões relativas ao mercado de trabalho, o que é do interesse dos alunos, e as perspectivas para o setor ferroviário. A parceria entre as duas instituições é importante para fortalecer o setor”.

6_1.jpg

Para o coordenador da Engenharia no IF Sudeste e presidente da comissão organizadora do Sisfer, Philipe Pacheco, o fato de a UFSC Joinville e o Campus Santos Dumont caminharem juntos é fundamental. “O curso de Joinville serviu de inspiração para a gente correr atrás e criar a nossa Engenharia aqui. Temos muito a agradecer, pois a UFSC sempre nos deu apoio em todas as vezes que precisamos", afirmou.

“Nesta edição, vieram outras pessoas e instituições de ensino. Temos certeza de que as próximas edições serão ainda melhores. Queremos contribuir para o crescimento do setor. Se o setor ferroviário crescer, é bom para todo o país”, concluiu Philipe. Uma das pessoas que participaram pela primeira vez do Sisfer foi o engenheiro de transportes Tiago Antunes, recém-formado pela Universidade Federal de Itajubá. “Foi muito proveitoso, pois o seminário conseguiu integrar profissionais de todas as áreas do transporte”, avaliou o ex-aluno da Unifei.

Palestrante de abertura do Sisfer pela segunda vez, o presidente da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer), Vicente Abate, elogiou a iniciativa do Campus Santos Dumont ao criar a graduação em Engenharia Ferroviária e Metroviária. “A indústria ferroviária hoje detém uma tecnologia de processo e de produto que garante a competitividade das concessionárias. E isso é papel dos engenheiros. Então, é importante que eles se qualifiquem já nas instituições de ensino, para oferecer produtos e serviços de forma a melhorar a produtividade dessas empresas. É um campo promissor que se abre no Brasil”, analisou Vicente.

O evento também foi uma oportunidade de ratificar a qualidade do trabalho desenvolvido pelos engenheiros da área no Brasil. Embora o país precise ampliar a malha e o número de pessoas atendidas pelo transporte metroferroviário, o conhecimento está aqui. “Posso dizer que, de tudo que já vivi e conversei, nunca me senti menos conhecedor que americanos, alemães, franceses, ingleses. Nosso conhecimento é muito nivelado. A Engenharia que temos aqui é igual à que existe lá fora”, afirmou o engenheiro de manutenção Igor Baria, do Metrô de São Paulo, que ministrou uma palestra sobre a aplicação da Inteligência Artificial na Ferrovia.

"Foi muito gratificante. Além da experiência com o planejamento do Sisfer, estabelecemos contato com professores de outras instituições e representantes de empresas. O evento teve o estudo de caso de várias situações que realmente ocorrem na Ferrovia e são a confirmação daquilo que estudamos em sala de aula”, analisou o presidente da empresa Evidência Jr e estudante de Engenharia Ferroviária e Metroviária, Raphael Macedo, que também fez questão de agradecer a professores, colegas e convidados pelo apoio ao evento.

Ferrovia Solidária

Em sua segunda edição, a campanha “Ferrovia Solidária” teve sua equipe vencedora conhecida na tarde desta quinta-feira, durante a programação do VIII Seminário de Integração do Setor Ferroviário. Após a palestra que ministrou sobre pontualidade na partida de trens de cargas e passageiros, o engenheiro Douglas Lopes, que atua na Estrada de Ferro Vitória a Minas, chamou oito estudantes do IF: Ana Carolina Dias, Franciele Robertson, Gabriel Feliciano, Gabriela Castelo Branco, Diogo Ribeiro, Mylena Gomes, Rafaela Cunha e Viviani Piedade ficaram sabendo naquele momento que sua equipe havia somado o maior número de pontos na campanha.

Em 2019, a “Ferrovia Solidária” arrecadou cerca de 500 quilogramas de alimentos e 2.000 peças de roupa, que serão destinados a instituições beneficentes. Ao somar o maior número de pontos, o time formado por estudantes do terceiro ano do curso técnico em Manutenção de Sistemas Metroferroviários integrado ao Ensino Médio ganhou como prêmio uma viagem em um trecho da Estrada de Ferro Vitória a Minas.

“Na gincana, é um prazer muito grande arrecadar os itens para as pessoas mais carentes. Um prazer maior ainda é ver a expressão de quem quer ajudar”, relatou a estudante Viviani Piedade, que também apreciou a qualidade do seminário. “O que nos chamou muita atenção é que pessoas de um conhecimento muito alto sobre Ferrovia ministraram palestras para a gente, como um representante da VLi (Logística) que está estudando a possibilidade de uma parceria com o IF para estágio. É uma oportunidade muito boa”, concluiu.

A mesa de honra de encerramento do Sisfer contou com os professores André Diniz de Oliveira (diretor-geral do Campus Santos Dumont), Philipe Pacheco (coordenador da Engenharia Ferroviária e Metroviária) e Marcus Vinícius de Paiva (coordenador do curso técnico em Manutenção de Sistemas Metroferroviários).