Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Santos Dumont > Campus Santos Dumont terá laboratório para aprendizagem baseada em projetos
conteúdo

Destaque

Campus Santos Dumont terá laboratório para aprendizagem baseada em projetos

SD MAKER

Unidade é uma das 113 da Rede Federal selecionadas para desenvolver o laboratório IFMaker, ação da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica; novo espaço atenderá também o público externo
publicado: 11/09/2020 14h42, última modificação: 14/09/2020 15h13
Exibir carrossel de imagens Atividade prática no Laboratório de Soldagem

Atividade prática no Laboratório de Soldagem

O Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste MG) terá em Santos Dumont um espaço dedicado à aprendizagem baseada em projetos. Classificada em seleção da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação, a unidade montará nos próximos meses um laboratório baseado no método conhecido como Learning By Doing, Aprender Fazendo, que associa teoria e prática constantemente. Novo laboratório do Campus Santos Dumont, o SD Maker beneficiará não apenas os alunos da instituição, mas também a sociedade de maneira geral, nos eixos de ensino, pesquisa, desenvolvimento e inovação. 

A Setec divulgou nesta sexta-feira (11) o resultado final da seleção de projetos de toda a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica para a instalação de laboratórios IFMaker de prototipagem, primeira fase prevista pelo edital 35/2020 (a segunda fase, em 2021, será dedicada à ampliação dos laboratórios já instalados). As unidades de Muriaé e Rio Pomba do IF Sudeste MG também se habilitaram ao desenvolvimento do IFMaker. O cronograma da Setec prevê o funcionamento dos laboratórios a partir de dezembro deste ano, com as ressalvas impostas pela incerteza em torno da pandemia da Covid-19. 

Entre os 74 selecionados além daqueles indicados pelas próprias instituições como prioritários, o projeto do Campus Santos Dumont recebeu a 12ª maior nota (73,23). Ele prevê um investimento de R$ 82.800,00 na primeira fase. Serão adquiridos duas impressoras, um scanner e uma caneta 3D, um notebook, uma SmartTV, um kit de ferramentas, uma furadeira, uma serra, uma lixadeira orbital, kits de Robótica e um projetor multimídia. 

Esses equipamentos serão dispostos em um espaço de 74m2, que receberá todas as atividades propostas. Dois ambientes anexos ao laboratório serão disponibilizados para os professores da equipe do SD Maker realizarem as tarefas relativas à coordenação do projeto e também para armazenamento dos insumos de produção e das peças de reposição para as máquinas. 

"Esse resultado mostra nossa capacidade de estar entre grandes proposições do nosso Instituto e da Rede Federal como um todo a partir da especialização que estamos desenvolvendo, das competências que estão sendo geradas e do envolvimento dos servidores no projeto do Campus Santos Dumont", avaliou o diretor-geral da unidade, professor André Diniz.

"Além disso", completou o diretor, "é um laboratório muito importante para nossa estrutura, pois estamos trabalhamos na perspectiva de integração da escola (o campus promove o projeto Escola Integrada, para agregar as diversas dimensões humanas no ensino, sem dissociar educação e trabalho). Tecnologicamente, o IFMaker é um representante dessa integração que a gente pretende com os cursos". 

Projetos e parcerias

O SD Maker não ficará restrito a professores e alunos do Instituto Federal. A proposta do Campus Santos Dumont é firmar parcerias com instituições e empresas, incentivando o empreendedorismo e a autonomia criativa das pessoas. Duas já estão fechadas: com as Escolas Estaduais Engenheiro Henrique Dumont (Polivalente) e Governador Bias Fortes (Vocacional). Oficinas no laboratório serão dedicadas a alunos e professores dessas instituições, que terão acesso às práticas, informações e tecnologias que a indústria demanda atualmente. 

A expectativa dos professores envolvidos no SD Maker é de fechar outros convênios e realizar pelo menos quatro oficinas por mês, além de minicursos e palestras. Empresas, microempreendedores individuais, associações comunitárias e cooperativas de produtores locais também estão entre possíveis parceiros. Aproximadamente 100 pessoas por mês poderão ser atendidas por um projeto que, esperam os profissionais do IF Sudeste MG, terá um impacto social importante em Santos Dumont. 

Competências

Internamente, o laboratório poderá auxiliar estudantes de todos os cursos, inclusive de maneira integrada, complementando as funcionalidades já oferecidas por outros ambientes de trabalhos práticos no campus. Empresas juniores (atualmente, a unidade conta com a Evidência Júnior, ligada à Engenharia Ferroviária e Metroviária) também poderão usufruir o espaço para o desenvolvimento de suas atividades. Será possível auxiliar microempreendedores e produtores rurais, por exemplo, em aspectos como sustentabilidade, instalações elétricas, eficiência energética e otimização da produção. 

Considerando os equipamentos que serão adquiridos e as competências dos profissionais envolvidos, são esperados projetos ligados a Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica, Ciência da Computação, Automação, Simulação, Manufatura Aditiva, Programação, Sistemas Embarcados e de Potência, Controles Eletrônicos, Processos de Fabricação, Gestão de Qualidade, Segurança e Meio Ambiente. 

O projeto do Campus Santos Dumont também prevê a participação na segunda fase do IFMaker, que será dedicada à ampliação do laboratório e terá inscrições a partir de maio e resultado final em agosto de 2021. A equipe do SD Maker conta com os professores Wesley Henrique Maciel (engenheiro eletricista e coordenador do projeto), Lívia Meneguitte Ávila (engenheira mecânica) e Luciano Gonçalves Moreira (cientista da Computação) como membros titulares. Os professores Carlos Artur Leal, Philipe Pacheco (engenheiros mecânicos) e Marcus Vinícius de Paiva (engenheiro eletricista) são os membros suplentes.