Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Santos Dumont > Professora do IF é voluntária em impressão 3D de protetores faciais contra Covid-19
conteúdo

Destaque

Professora do IF é voluntária em impressão 3D de protetores faciais contra Covid-19

Lívia Ávila normalmente utiliza impressora 3D em disciplinas de cursos técnicos e de graduação no Campus Santos Dumont; professora e equipamento agora entram no combate ao novo coronavírus
por Daniel dos Santos Leite publicado: 26/03/2020 19h35, última modificação: 27/03/2020 09h34
Exibir carrossel de imagens #pratodosverem: Imagem indica demonstração do que são os protetores faciais. À esquerda, uma mulher aparece de frente, utilizando o EPI. À direita, ela é mostrada de perfil, também com o equipamento. Imagem: Reprodução (Projeto Hígia).

#pratodosverem: Imagem indica demonstração do que são os protetores faciais. À esquerda, uma mulher aparece de frente, utilizando o EPI. À direita, ela é mostrada de perfil, também com o equipamento. Imagem: Reprodução (Projeto Hígia).

Os protetores faciais são um recurso imprescindível no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus, para que profissionais da Saúde e de outros segmentos essenciais exerçam suas funções com mais segurança, minimizando a chance de contágio. É por isso que o grupo Women in 3D Printing Brazil (Mulheres na Impressão 3D - Brasil), braço nacional de uma organização global formada por pesquisadoras da área, lançou o Projeto Hígia*, para impressão desses itens como equipamentos de proteção individual em hospitais e outras unidades de Saúde. A professora Lívia Ávila, do Campus Santos Dumont do Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste MG), faz parte desse time de voluntárias. 

Engenheira mecânica, Lívia trabalha com a impressora 3D no Instituto Federal desde 2018 em projetos e disciplinas relacionados a Desenho Técnico e Simulação. O dispositivo funciona de maneira integrada a um software de modelagem 3D – é possível idealizar o objeto e “recebê-lo” pronto, palpável, com alto grau de precisão. Agora, todo esse conhecimento e todas essas possibilidades estão a serviço da sociedade no momento em que ela mais precisa. 

"Acredito muito que pequenas iniciativas podem fazer a diferença nesse momento tão difícil de enfrentamento à Covid-19", avaliou a professora Lívia, "e não faz sentido ficar parada em quarentena se temos recursos e conhecimento, e isso pode ajudar a proteger as pessoas. É isso que pratico e sempre ensino aos nossos estudantes: mais do que profissionais, técnicos ou especialistas, devemos ser humanos, sensíveis e cuidadosos". 

O projeto

No Projeto Hígia, as voluntárias recebem todas as informações sobre os padrões para impressão, com dicas de fatiamento e parâmetros para impressoras específicas. A equipe ainda ajusta aspectos relacionados à logística de distribuição, mas, de acordo com a professora Lívia, a Secretaria Municipal de Saúde de Santos Dumont já é um dos órgãos cadastrados para receber os protetores e será a beneficiária do material que a docente conseguir produzir. O objetivo inicial do Projeto Hígia é distribuir 100 mil equipamentos no Brasil. A Women in 3D Printing tem a intenção de apoiar profissionais de Saúde em todo o mundo e estuda as melhores iniciativas em cada contexto regional.

Os protetores faciais contam com uma haste, impressa pelo dispositivo, uma folha de acetato A4 acoplada a ela (a professora conseguiu nesta quinta-feira comprar as primeiras unidades deste material) e um fio elástico. Eles cobrem todo o rosto e, se higienizados periodicamente, podem ser utilizados pelos profissionais por um longo período. Formando uma barreira adicional, completam o uso das máscaras, que são obrigatoriamente trocadas todos os dias. O trabalho de Lívia é desenvolvido em casa, para cumprir as medidas de isolamento social incentivadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e ampliar sua jornada diária. Nos primeiros dias, ela operou apenas o equipamento cedido pelo IF Sudeste MG para o projeto. A partir desta quinta-feira (26), a professora já conta também com a impressora 3D que acabou de adquirir. 

Cada protetor facial, de acordo com cálculo do Projeto Hígia, custa às voluntárias cerca de R$5,00, considerando apenas energia, plástico e desgaste de equipamentos (a professora Lívia, por exemplo, tem aplicado recursos próprios na compra de todo o material necessário). Assim, é fundamental que a iniciativa receba doações para conseguir atender ao máximo possível de profissionais que, pelo caráter essencial de sua atuação durante a pandemia, precisam estar na linha de frente de combate à Covid-19. 

Se você puder, doe aqui qualquer valor ao projeto 

Mais desafios

"Estamos fazendo tudo para produzir o máximo possível de peças, mas isso é um pouco contrário à ideia original da impressora 3D, que é a confecção de protótipos, não em grande escala", explicou Lívia, "no entanto, precisamos fazer linha de produção já na impressora. Vez ou outra, é necessário lubrificar o equipamento, ajustar a parte mecânica. Aqui, são de 10 a 12 horas por dia na impressão, e cada peça tem levado mais de uma hora para ser impressa". 

A Secretaria de Saúde de Santos Dumont, por exemplo, indicou uma demanda total de 500 protetores faciais, número que, para uma produção individual (mesmo que articulada com um projeto nacional) como a da professora Lívia, seria irrealista em função da escassez de tempo. Por isso, o projeto também precisa de mais voluntários (sem restrição de gênero) que tenham e saibam operar uma impressora 3D

Doação de máscaras hospitalares

A Comissão Interna de Avaliação e Prevenção do Risco de Acidentes de Trabalho (Ciaprat) é outro setor do Campus Santos Dumont a prestar apoio à Saúde Pública no contexto da pandemia do novo coronavírus. A Unidade Básica de Saúde do bairro Boa Vista, vizinha ao IF Sudeste MG, recebeu dos membros da comissão 500 máscaras hospitalares e dez máscaras N95, também para a utilização dos profissionais em seu cotidiano de trabalho durante o período crítico do quadro epidemiológico. A Ciaprat doou outras 510 máscaras, com as mesmas especificações, à 63ª Companhia de Polícia Militar de Santos Dumont.  A entrega foi efetivada na última segunda-feira, 23 de março. Servidores do IF já haviam recebido dez máscaras hospitalares na semana passada, antes da suspensão das atividades presenciais da instituição.

*Na Mitologia Grega, Hígia é a deusa da saúde, da limpeza e da sanidade.