Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Rio Pomba > “Ações da Rede Mãos à Horta em tempos de Covid-19”: projeto de extensão é concluído
conteúdo

Extensão

“Ações da Rede Mãos à Horta em tempos de Covid-19”: projeto de extensão é concluído

O projeto de extensão “Ações da Rede Mãos à Horta em tempos de Covid19” foi concluído em dezembro, mas atividades continuam.
publicado: 28/01/2021 14h39, última modificação: 28/01/2021 14h39
#Pratodosverem: Integrantes da Rede Mãos à horta posam para foto durante o trabalho na pandemia. Todos usam máscaras.

#Pratodosverem: Integrantes da Rede Mãos à horta posam para foto durante o trabalho na pandemia. Todos usam máscaras.

Há 6 anos, a Rede Mãos à Horta vem fomentando a produção e a comercialização de alimentos agroecológicos e de transição agroecológica de Rio Pomba, formando um coletivo de produtores e consumidores (os prossumidores).

Em meio à pandemia de Coronavírus, a Rede Mãos à Horta se deparou com o desafio de continuar auxiliando os agricultores e as agricultoras familiares e ainda comercializar seus produtos no município, de forma segura e virtual.

Diante desse cenário, a Rede Mãos à Horta concorreu ao EDITAL 06/2020 do IF Sudeste MG, que selecionou Projetos de Extensão Estratégicos e Emergenciais para Ações de Enfrentamento e Difusão de Informações Referentes ao COVID-19, e teve o projeto “Ações da Rede Mãos à Horta em tempos de Covid19” aprovado.

O Projeto

O objetivo do projeto era permitir o acesso da população de Rio Pomba à uma alimentação saudável, o que favorece o fortalecimento do sistema imunológico como forma de prevenção ao coronavírus. Além disso, o projeto atuou repassando informações nutricionais de alimentos e sobre a prevenção à Covid-19.

A Rede Mãos à Horta participa da tradicional Feira Livre de Rio Pomba, realizada todo sábado de manhã, na Praça Ministro Odilon Braga. A feira foi suspensa devido à pandemia, por isso, foi necessário repensar toda a estrutura de funcionamento e atuação da Rede, inclusive a comunicação. As cestas com os produtos passaram a ser entregues na casa do consumidor e os pedidos eram recebidos através da plataforma Open Food Brasil. A facilidade incentivou o consumo de alimentos frescos e sem agrotóxicos.

A equipe do projeto levantou dados e informações para melhorar a comunicação interna e externa da RMH a fim de impulsionar as vendas. Através de posts no Facebook da Rede, tags, vídeos, banners, folders e panfletos; o público beneficiário do projeto (produtoras e produtores, consumidoras e consumidores e as/os voluntárias/os) foi atingido.

A equipe incluía 5 bolsistas de graduação, 1 bolsista graduado em Comunicação e 4 professores (Francisco César Gonçalves-Coordenador; Henri Cócaro; Carlos Miranda Carvalho; Urias Couto Gonçalves), que se reuniam semanalmente. Nos encontros, eram definidos temas, com fontes seguras e confiáveis, para trabalhar assuntos relacionados à pandemia e ao enfrentamento da Covid-19. Foram elaboradas peças digitais e gráficas com conteúdos semanais diferentes e com informações sobre: covid-19; sistema imunológico; cuidados; vacinas; pancs; agroecologia e agronegócio; agrofloresta e saúde; alimentos saudáveis, diversificados e sem venenos; plantas medicinais para combater a ansiedade, e insônia. No contexto da pandemia, outro assuntos também foram abordados, são eles: valorização e importância da RMH e entregas domiciliares; agricultura familiar; soberania alimentar e nutricional, e importância da Economia Solidária para fortalecer a economia local de Rio Pomba.

O projeto também permitiu uma maior interação com o setor de comunicação do Instituto Federal de Rio Pomba, que divulgou uma matéria sobre a ação, o que possibilitou a adesão de novas/os colaboradoras/es e fortaleceu as relações internas e com a comunidade, permitindo a continuidade das ações mesmo após a conclusão do projeto.

O Trabalho continua

Durante a execução do Projeto, percebeu-se a necessidade de acompanhar os preços dos alimentos, e, para tal, surgiu o Projeto “Comportamento dos preços de alimentos comercializados pela Rede Mãos a Horta durante o período de pandemia COVID-19”. Os resultados desse projeto indicaram a importância da Rede para a economia local. Confira alguns deles:

- De abril de 2020, início da comercialização online, até dezembro de 2020 a receita bruta da RMH foi de R$ 50.309,17, distribuída nas seguintes categorias: pães, bolos, biscoitos (23,9%); produtos origem animal (15,1%); Frutas (11,3%); doces e geleias (8,2%); massas e congelados (10,0%); minimamente processados (7,5%); verduras (5,5%); ervas e plantas alimentícias não convencionais (4,4%); Legumes (4,7%); grãos (2,7%); outros produtos alimentícios (3,7%); e outros produtos não alimentícios (3,1%).

- A contribuição financeira das produtoras, foi de R$ 25.902,55 até novembro. Isso representou 56,0% da receita bruta do período, originada principalmente da comercialização de alimentos in natura e alimentos processados. 

Tais números, entre outros, ratificam a contribuição das ações da RMH para a manutenção da segurança alimentar e  da economia local pautadas por princípios da agroecologia e da economia solidária. Ainda que o projeto de extensão tenha terminado, as ações da RMH continuam envolvendo produtores e produtoras, consumidores, estudantes voluntários e professores colaboradores.

 

registrado em: