Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Rio Pomba > 2020 > 07 > Projeto de Rio Pomba estende assessoria para empresas de Barbacena
conteúdo

Extensão

Projeto de Rio Pomba estende assessoria para empresas de Barbacena

Após sucesso entre empresas de Rio Pomba e região, projeto é levado para atender pequenos e médios empresários de Barbacena.
publicado: 22/07/2020 16h21, última modificação: 22/07/2020 16h21
#Pratodosverem: A imagem ilustrativa é uma mesa com papeis com gráficos, óculos, calculadora. À esquerda, há uma pessoa segurando um tablet e uma caneta. À direita, um homem com uma caneta na mão.

#Pratodosverem: A imagem ilustrativa é uma mesa com papeis com gráficos, óculos, calculadora. À esquerda, há uma pessoa segurando um tablet e uma caneta. À direita, um homem com uma caneta na mão.

Devido à pandemia do Coronavírus, o governo liberou diversos benefícios fiscais e econômicos para as empresas. Dessa forma, Marlene Pereira, professora do Campus Rio Pomba, decidiu levar para a cidade de Barbacena um projeto de extensão que tem como objetivo principal prestar serviço de consultoria para as pequenas e médias empresas da região. 

Inicialmente, o projeto atendia apenas empresas do município de Rio Pomba, mas pela proximidade das duas cidades e pelo fato de ambas serem sede do IF Sudeste MG, foi pensado na possibilidade de ampliar o alcance do projeto e atender também em Barbacena. O professor José Carlos de Cnop é o coordenador do programa em Barbacena.

Marlene conta que este projeto tem a finalidade de assessorar as micro, pequenas e médias empresas, nesse momento de crise, por meio de consultoria econômica-tributária, no sentido de verificar quais benefícios econômicos e tributários, disponibilizados pelo governo, a empresa interessada poderá acessar e de que maneira.

As consultorias serão prestadas virtualmente, por estudantes de Direito e Administração do Campus Rio Pomba e Barbacena. A empresa deve encaminhar um e-mail para um dos professores coordenadores do projeto, solicitando o atendimento e então os alunos irão estudar o perfil da empresa, verificar a categoria empresarial em que se encontram e identificar de quais benefícios  tais empresas poderão usufruir. Após toda a análise, será elaborado um relatório e encaminhado de volta para a empresa. “Por meio deste projeto, as empresas receberão suporte técnico, o que poderá contribuir para que sobrevivam à crise. A preservação das empresas reflete na manutenção do emprego e da renda dos munícipes e isto repercute também em outros setores da economia local, que do mesmo modo podem estar em dificuldade.” , ressalta Marlene.

A professora conta ainda que o projeto também favorece ao aprendizado dos alunos e fortalece a Instituição. Segundo ela, os alunos serão protagonistas do processo de ensino-aprendizagem, e isso ampliará seus horizontes teóricos, além de permitir que desenvolvam outras habilidades, além das vistas em sala de aula. “A Instituição estará fortalecida ao demonstrar o seu potencial social, como entidade capaz de contribuir não apenas disseminando o conhecimento, mas também através de intervenção prática”, finaliza.

Para os empresários de Barbacena e microrregião que tiverem interesse em obter o serviço de assessoria, basta entrar em contato através de um dos e-mails abaixo: marlene.pereira@ifsudestemg.edu.brchristian.herrera@ifsudestemg.edu.br, decnop@gmail.com

Relevância

Segundo Marlene, as micro, pequenas e médias empresas têm função essencial para a economia, pois existem em grande número e têm importância fundamental na empregabilidade. As empresas desse porte apresentam melhores condições de adequação ao seu ambiente, devido à proximidade com seus clientes, empregados, fornecedores e comunidade. Conforme relatório divulgado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), em 2006 as micros e pequenas empresas (MPE) corresponderam a 98% das empresas formais do Brasil, e foram responsáveis por 67% das ocupações no setor privado. Aproximadamente 52,3% das pessoas economicamente ativas do País, estão empregadas nas MPEs, estas empresas distribuem cerca de 39,4% da massa de remuneração dos empregados (SEBRAE, 2006).

 Texto: Marcela Souza Revisão: Coordenação de Comunicação - Campus Barbacena